2 de janeiro de 2015

Resenha - A Estrela que Nunca vai se Apagar

Título: A Estrela que Nunca vai se Apagar
Autores: Esther Earl com Lory e Wayne Earl
Editora: Intrínseca
Páginas: 437
Classificação: 4,5/5
Onde Comprar: Saraiva

Sinopse:
A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar conta a história de Esther Grace Earl, diagnosticada com câncer da tireoide aos 12 anos. A obra é uma espécie de diário da jovem, com ilustrações, fotos de seu arquivo pessoal, textos publicados na internet, bate-papos com os inúmeros amigos que fez on-line e reproduções de cartas escritas em datas comemorativas como aniversários. A jovem perdeu a batalha contra a doença, mas deixou um legado de otimismo e celebração ao amor. Atualmente sua mãe, Lori Earl, preside a instituição sem fins lucrativos This Star Won´t Go Out (tswgo.org), que apoia pacientes e famílias que lutam contra o câncer.

Resenha:
Esther Grace Earl, nascida em 3 de agosto de 1994, acabou se tornando importante e, digo mais, indispensável, na vida de diversas pessoas. Ela foi diagnosticada em 2006, aos 12 anos de idade, com um câncer super perigoso e raro em crianças e, apesar de estar com o tempo de vida contado e ameaçado, continuou a encantar diversas pessoas e até serviu de inspiração para John Green no livro A Culpa é das Estrelas. O livro A Estrela que Nunca vai se Apagar conta a história dessa incível garota!
Logo nas primeiras páginas temos um depoimento lindo e emotivo do John Green contando como conheceu a Esther, depoimento esse que acaba sendo meio que um preparativo emocional para tudo que vem pela frente: a linda estória de uma garota que teve várias dificuldades na vida, mas que não parou de sorrir e acreditar em nenhum momento.
O livro se trata de uma coletânea de anotações que a Esther fazia em seu diário, relatos de seus amigos, familiares, médicos e quaisquer pessoas que tenham tido o privilégio de viver com ela. Então nós não temos a visão apenas dela e isso acaba enfatizando o quanto ela era uma menina amadurecida, cheia de fé e esperançosa, porque, enquanto todos diziam que sua doença era injusta, que sofriam todos os dias e que tinham medo do dia em que ela morreria, ela sempre mostrava ainda ter esperança em relação à sua doença e estava sempre confortando os seus parentes e amigos que ficavam tristes por sua doença com sentimentos positivos, piadas ou até demonstrações de afeto que eram constantes.
A vida da Esther não foi fácil e aprendemos com ela que não é preciso muito para ser feliz: o amor pode não encher barriga, mas pode renovar as esperanças até mesmo de uma pessoa que não tem motivos para sorrir. Esther aprendeu isso durante sua vida e nos ensinou que ninguém é perfeito; nem mesmo ela era perfeita, mas mesmo com todas as nossas imperfeições, temos que tentar ser bons para as pessoas em geral: sempre tem alguém que precisa de um simples "eu te amo" por aí. Um "eu te amo" pode salvar a vida de muitas pessoas e Esther fez sua parte com relação a isso: de acordo com os seus amigos, ela os fazia se sentir únicos a cada momento que estava com eles, e é isso que nós temos de tentar fazer: ser o mais especial que podemos para as pessoas: elas podem estar precisando pura e simplesmente disso: amor.
O único problema que eu encontrei de TODO o livro é que, em minha opinião, ele teve mais páginas do que deveria: em algum momento tudo me pareceu repetido e eu fiquei meio: "mas eu já não li sobre isso? Por que vocês tão repetindo a mesma coisa?" E isso até fez com que a minha leitura fosse mais lenta: eu fiquei desanimado para continuar lendo já que eu sabia que ia ser mais um monte da mesma coisa, mas isso não foi de total ruim, na verdade foi quase que insignificante se comparado ao resto do livro.
Enfim, o livro é tão extraodrinário quanto a pessoa que foi escrito para e merece muito ser lido, a história da Esther é inspirante, estimulante e nos passa diversas lições sobre tudo, uma leitura indispensável para os amantes de A Culpa é das Estrelas e também para os amantes de pessoas únicas e incríveis como Esther. Um livro lindo, cheio de frases bonitas e super emocionante, A Estrela que Nunca vai se Apagar é o tipo de livro que devia ser uma leitura obrigatória para todos!
Abraços,
Gabriel

2 comentários:

  1. Iai xará, beleza?

    Cara, eu não curti muito ACEDE e esse livro me parece muito... Não sei, "comercial". Achei estranho eles decidirem publicar isso e por mais que seja uma lição de vida e tal, não tenho vontade de ler. Abraços!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho esse livro, mas ainda não li (sempre leio outras coisas), mas pretendo ler logo, parece ser muito bom e de fazer chorar, haha.
    Adorei a resenha.
    Beijos,
    cabanadosanjos.blogspot.com (Se lembra de mim? Do Anjo de Cereja ou Como Julieta? hahaha)

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel