14 de agosto de 2014

Resenha - Claros Sinais de Loucura

Título: Claros Sinais de Loucura
Autora: Karen Harrington
Editora: Intrínseca
Páginas: 254
Classificação: 4/5
Onde Comprar: Saraiva

Simopse:
Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra.
Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu.
Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.


Resenha:
A resenha de hoje é de um livro muito legalzinho e cheio de um sentimentalismo escrito e desenvolvido de forma muito bonita pela autora. Claros Sinais de Loucura, escrito pela autora Karen Harrington e publicado aqui no Brasil pela editora Intrínseca é o resenhado de hoje. O livro é de uma leitura super fácil e rápida.
A trama gira em torno da Sarah; ela é uma garota de 11 anos que tem um passado bem estranho: quando tinha só 2 anos de idade, sua mãe tentou afogá-la junto ao irmão gêmeo. Aconteceu que ela não morreru, mas o seu irmão sim; a mãe foi internada e o pai acusado de ter deixado ela fazer isso, virando um alcoólatra logo em seguida. Logo no começo do livro ela vai fazer 12 anos e o seu verão começa, trazendo muitas surpresas e mudanças para a sua vida!
A escrita da autora é super rápida e ela brinca de uma forma super legal com palavras por parte da protagonista durante toda a trama, mas isso você só vai entender lendo o livro. O modo como a Harrington escreve é tão rápido e fluido que não é  muito difícil ler esse livro em um dia, sem contar nos personagens, que são super envolventes e fazem com que a leitura fique mais rápida ainda! A obra é do tipo que você lê e marca milhares de quotes desde as primeiras páginas até a última linha do livro, mérito, é claro, da incrível autora! 
A grande jogada da Harrington foi na protagonista: Sarah é uma personagem muito legal e peculiar; ela não é a típica garota burra e inocente de 12 anos (ela faz 12 no decorrer do livro), ela é muito inteligente e a autora não esconde isso em nenhum momento, muito pelo contrário, ela explora isso de forma espetacular de modo a fazer com que o leitor se apaixone por essa garota com uma facilidade incrível. Ela tem dificuldades e as resolve de forma muito matura para a sua idade, mas isso não parece forçado em nenhum momento, e é principalmente por causa disso que eu gostei tanto da escrita da autora: ela não fez mais uma protagonista qualquer, mas sim uma personagem forte e cheia de personalidade.
Apesar de a personagem principal ser muito bem construída e desenvolvida, eu não senti o mesmo em relação aos outros personagens. Alguns deles agiam de forma tão anormal para suas idades que eu ficava meio que sério isso?. Na verdade, a maioria dos adultos desse livro agiam como verdadeiras crianças mimadas e chatas, coisa que me irritou bastante e acabou me fazendo gostar um pouco menos da leitura.
O gênero desse livro é o coming of age, algum dia eu faço um post explicando só sobre esse gênero e dando dicas para as pessoas que gostam dele e nem sabem: ele é o tipo de livro que não foca em uma situação específica e que não tem um verdadeiro ápice, ele foca no amadurecimento do personagem principal, mostrando como esse amadurecimento acontece e mostrando situações que vieram a ajudar nesse ponto. A autora conseguiu fazer isso de forma incrível: é muito possível notar o amadurecimento da Sarah do começo para o final do livro, tanto nas suas atitudes, quanto da forma de pensar, agir, se vestir e até mesmo falar! Tudo isso fica muito explícito e foi com certeza a coisa mais legal do livro: notar esse amadurecimento da personagem principal.
Acho que o livro passa uma lição muito legal de como os pais são importantes e interferem na nossa vida, crescimento, desenvolvimento e em tudo o que envolve a gente. O momento mais bonito do livro foi, provavelmente, lá pro final do livro, quando a intenção da autora de passar essa lição ficou bem clara. Os nossos pais nos amam e isso é algo que nós devemos sempre lembrar e agradecer por.
Um livro cheio de um sentimentalismo muito bonito e com uma personagem principal muito bem construída, Claros Sinais de Loucura fará com que o leitor tenha vontade de conhecer pessoalmente a protagonista (mesmo sabendo que ela não é real) e lhe dar um abraço e dizer que tudo ficará bem. Esquecendo, é claro, dos personagens secundários não tão bem construídos pela autora, o livro é uma ótima pedida para os amantes de John Green ou até para os fãs de As Vantagens de Ser Invisível. Um livro que com certeza marca o leitor e faz com que ele repense sobre algumas de suas atitudes.
Abraços,
Gabriel

7 comentários:

  1. Eu adoro livros de coming of age! Sério, são o melhor gênero de todos, eu AMO As Vantagens de Ser Invisível, sou totalmente apaixonada pelo Charlie, então acho que vou gostar bastante desse livro, pena que esses personagens secundários não foram tão bem criados, tenho a impressão de que esse é o único grande defeito do livro. Adorei sua resenha, você escreve muito bem! ^^
    Beios - Anna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é realmente o único grande problema do livro, mas tirando isso o livro é muito bom! Eu também adoro As Vantagens de Ser Invisível e obrigado pelo elogio!
      Abraços,
      Gabriel

      Excluir
  2. Eu amei esse livro com todas as minhas forças, me indentifiquei demais com a Sarah e fiquei meio que depressiva quando terminei de ler, ela é muito linda e adorável e enfim, também concordo com você, aquela Charlotte é muito infantil, meu Deus, quantos anos ela acha que tem pra ser daquele jeito? Muito chata mesmo ela, mas tirando ela em especial, eu amei muito o livro, ele é muito legal e, na minha concepção, um livro cinco estrelas! Gabriel, adorei o jeito que você escreve! Beijinhos,
    Carol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! A Charlotte é inantil demais mesmo! Aquela garota (mulher, talvez) era um pé no saco! Fico feliz que você tenha gostado tanto assim do livro, é muito bom quando a gente gosta assim de um livro! Obrigado pelo elogio, sua linda!
      Abraços,
      Gabriel

      Excluir
  3. Esse lance de a mãe dela ter tentado matar ela parece que rende uma boa história, mas eu não sou lá muito fã de coming of age, costumo achar eles meio parados e tal, mas gostei muito da sua resenha e até fiquei curioso pra ler o livro! Flw
    Thiago

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é meio parado mesmo, isso me incomodou em algum momento, mas acabei ignorando e me concentrando mais no que acontecia mesmo. Leia, o livro é muito bom!
      Abraços,
      Gabriel

      Excluir
  4. Oi Gabriel :)

    Cara, eu fiquei meio desanimado. Eu comprei esse livro e ainda não li. Estou esperando um livro fantástico 5 estrelas... Espero não me decepcionar. Abraços!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel