25 de julho de 2014

Resenha - Casa de Segredos


Título: Casa de Segredos
Autor: Chris Columbus, Ned Vizzini
Editora: Galera Júnior (para quem não sabe, esse é o selo infanto-juvenil da Galera Record) 
Páginas: 352
Classificação: 5|5
Onde comprar: Saraiva

Sinopse:
Brendan, Eleanor e Cordelia Walker um dia tiveram tudo: uma bela casa em São Francisco, pais adoráveis e todo o tipo de bugiganga eletrônica que podiam desejar. Mas tudo mudou depois que o pai perdeu o emprego em um misterioso incidente. A família está em dificuldades e precisa se mudar. À primeira vista, a mansão Kristoff parece perfeita. Mas a casa que pertencia ao misterioso escritor Denver Kristoff é cheia de segredos, e os três irmãos vão parar em um lugar selvagem que parece se misturar ao terreno da casa. Guerreiros medievais patrulham as florestas, piratas fantasmagóricos rondam os mares e uma rainha sedenta por poder governa aquelas terras. À medida que desvendam o mistério, Bren, Délia e Eleanor vão descobrir o verdadeiro significado de lar e perceber que não apenas sua família — está mais para a humanidade — que está correndo perigo.

Resenha:
Eu estava muito ansiosa para ler esse livro, mas estava com um certo receio devido ser um livro mais focado para o público infanto-juvenil e não é que eu me surpreendi?
O livro é focado em três irmãos, Brendan, Eleanor e Cordelia Walker, que na noite após se mudarem para a mansão Kristoff, a vizinha, filha de Denver Kristoff, invade a casa e se transforma em uma bruxa, devastando tudo o que vê pela frente. Os pais dos irmãos até tentaram proteger seus filhos, porém foram nocauteados pela bruxa. Os Walkers estavam muito assustados e mau conseguiam levantar do chão. Ao olhar para cima, Bren viu um livro dobrar de tamanho acima dele e o teto parecer ficar cada vez mais longe, até que o livro caiu e tudo ficou escuro.

As pessoas mais poderosas geralmente são aquelas que você vê sussurrando no ouvido de outras.

Os irmãos acordaram no dia seguinte com a casa toda destruída e o Sr. e a Sra. Walker haviam sumido. Ao olharem pela janela do sótão, os Walker notaram que não estavam mais na vizinhança, e sim num lugar aonde havia árvores imensas, libélulas gigantes e guerreiros medievais. Mas a emoção começa mesmo quando o piloto Will Draper chega. (Eu gostaria de falar mais, porém posso dar spooiler sem querer).

Às vezes, a pessoas não consegue recuperar a vida que tinha. Às vezes tem que pegá-la de volta.

Eu nunca tinha lido nenhum livro que tivesse dois narradores (dois narradores que eu digo é dois escritos fazendo uma mesma obra) e eu gostei muito da experiência. Não dá para perceber a troca de narrador devida escrita bem semelhante de ambos os autores. Se vocês notarem, o livro apresenta dois tipos de cor de página (uma mais amarelada e outra mais clara), mas só se percebe olhando para a lateral do livro; eu acredito que seja um meio de mostrar de forma, digamos, 'indireta' a troca de narrador. 
O tempo realmente torna as coisas importantes.
Uma coisa que eu não gostei quanto a parte narrada por Chris Columbos é que ele cita algumas coisas bem brutais e ensanguentadas, pelas quais não me agradam nada, como formas de sacrifício humano que havia em um livro (se ele tivesse só falado que era um livro de sacrifícios, ok, mas não, ele citou algumas coisas que haviam nele) e as formas como a rainha Daphne matava as crianças. Fora isso eu adorei do livro. Já um ponto que eu gostei muito da narrativa dele é que ele foca em todos os personagens, não deixando os secundários apagados, sabem?

As pessoas que desistem jamais escrevem história.

A narrativa dos dois escritores é bem leve e fluente apesar do livro ter uma letra um pouco pequena e a página grande. Os personagens são engraçados, principalmente a Eleanor, que tem 8 anos e é disléxica. Ela é super corajosa e eu gostei muitoo dela, minha favorita. Mesmo que bem pouco, o livro fala sobre machismo de uma forma engraçada e descontraída e também que toda família tem seus segredos. Quando você lê esse livro, percebe que ele tem um significado mais profundo, um sentimento maior. Ele trata de sonhos que não foram bem sucedidos, de bullying, de rejeição, de poder e de como tudo isso pode afetar alguém e vencer até mesmo os mais fortes. Eu aprendi muito com esse livro.

...mas, águas passadas não movem.

Eu simplesmente pirei com o final, é simplesmente aquele momento que toca "a música do tubarão" (rsrs) e o filme acaba. Meu Deus! Lancem logo a continuação, por favor!
E claro que eu não poderia esquecer de falar como a diagramação da capa é linda, com letras em auto-relevo e verniz localizado, fora a ilustração que eu achei muito bem feita e linda! E acho que vocês perceberam que eu tentei ser mais breve na resenha, porém abordando tudo o que eu achei importante falar e coloquei bastantes quotes (as frases são muito bonitas), esperam que tenha gostado.
É só isso por hoje leitores.
Abraços,
Nicole!

2 comentários:

  1. Livros de infanto-juvenil às vezes podem ser muito melhor do que os de adultos e/ou mais maduros, são sempre tão mágicos... ♥ Eu nunca ouvi falar nesse livro, parece ser incrível! Irei procurar pra ler, junto com outras centenas de livros u__u
    Beijos || Unlocked Land ❤

    ResponderExcluir
  2. Isso é verdade. Tem livro infanto-juvenil que a história é tão boa que a classificação parece estar errada. E leia esse livro mesmo, não vai se arrepender. Obrigado por ler a resenha!

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel