13 de junho de 2014

Resenha - A Seleção

Título: A Seleção
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 360
Classificação: 5|5
Onde Comprar:  Saraiva

Sinopse:
Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Resenha:
A resenha de hoje é do livro A Seleção, o primeiro volume da série escrita pela autora Kiera Cass e lançada aqui no Brasil pela editora Seguinte, um romance inovador que mistura conto de fadas e distopia, construindo um universo totalmente novo que surpreendeu muitos leitores e ganhou uma legião de fãs por todo o mundo.
Num futuro onde os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, mais recentemente Illéa, o regime político é a monarquia e a sociedade é dividida em castas, sendo a  um a melhor e a oito a pior para se viver. Uma competição chamada A Seleção é feita para decidir que cidadã de Illéa com idade entre 16 a 20 anos vai ser a noiva do príncipe desse país e ajudá-lo a governar esse país.
— America, você sabe que é uma menina muito bonita.— Se sou tão atraente, por que os meninos não me convidam para sair?— Ah, eles vêm convidar, mas eu espanto todos. Minhas filhas são bonitas demais para se casar com alguém da Cinco. Kenna conseguiu um Quatro, e tenho certeza de que você pode arranjar coisa melhor —  ela disse antes de dar um gole no chá.
Nesse mesmo país vive a America Singer, ela faz parte da casta 5, ou seja, a casta dos artistas, e não tem nenhuma pretensão de entrar na Seleção, isso porque não quer ser da realeza e também não se imagina ao lado de outra pessoa que não seja Aspen, eles nutrem um romance escondido e proibido entre castas diferentes,  ela é cinco e ele é seis, mas uma série de acontecimentos faz com que eles terminem e seu coração fique partido, além disso ela acaba sendo convencida pela mãe a participar da Seleção e, para a surpresa de todos, ela é uma das 35 escolhidas para participarem da competição.
Não queria ser da realeza. Nem queria ser Um. Não queria nem tentar.”
America vai decidida a não se envolver com o príncipe Maxon e nem ser alterada pela vida na realeza, mas acaba se envolvendo sim com ele e isso rende várias reviravoltas surpreendentes, choradeiras da America e confusões na mente dela, com quem deve ficar, com o príncipe que pode lhe dar uma vida cheia de riquezas, ou com o Seis que não pode lhe dar uma vida de princesa, mas que ela ama?

Com uma escrita super leve e fluida, Kiera Cass é o tipo de autora que faz com que você leia páginas e mais páginas sem nem se dar conta, além de toda essa facilidade em guiar o leitor pela sua história, Kiera também tem uma escrita romântica e muito bonita, além de conseguir, com facilidade, fazer com que o leitor sinta o mesmo que a protagonista sente.
Foi o suficiente. Seus lábios tocaram os meus, e eu não consegui pensar em mais nada. Não havia Seleção, família pobre ou Illéa. Havia apenas as mãos de Aspen nas minhas costas, puxando-me mais para perto; a respiração dele no meu rosto.”
Apesar de ser uma distopia, críticas a sociedade atual não são o foco desse livro, mas sim o romance que é desenvolvido durante a trama: um triângulo amoroso super instigante e inovador. A sociedade distópica criada pela autora é profunda e bem desenvolvida, mas ela opta por não trabalhar muito no desenvolvimento dessa sociedade nesse primeiro livro, então a obra pode ser descrita como um romance com algumas pitadas de distopia.
Os personagens do livro são todos bem criados, a America é um pouco irritante e repetitiva no começo do livro, mas com o tempo isso vai passando, logo que ela conhece Maxon, que é como um príncipe deveria ser: rígido, educado e não se preocupa só consigo mesmo, mas com os outros, além de Aspen, que é super bem criado, assim como todos os outros personagens do livro: todos têm suas ambições, preocupações e inseguranças que são criadas de forma excelente e rápida pela autora. A protagonista é bem geniosa e isso é visível durante toda a trama, o que gera várias cenas engraçadas e tensas.
Nenhuma das opções me parecia muito boa. E a ideia de entrar em um concurso que o país inteiro acompanharia só para ver um riquinho esnobe escolher a moça mais linda e sonsa do grupo para ser o rosto calado e bonito que apareceria ao lado dele na tv... era o bastante para me fazer gritar.Haveria humilhação maior?"
O romance criado entre America e Maxon se desenvolve de forma completamente natural, eles aos poucos vão se apaixonando e isso fica claro na escrita romântica de Kiera Cass, bem como o romance da protagonista com Aspen, que é bem explicado e delicado. Também vale dizer que o livro tem vários outros conflitos além do triângulo amoroso principal, tornando o enredo rico e cheio de contratempos e novidades a todo o momento.
O foco desse primeiro livro é, principalmente, sobre a própria Seleção, que é trabalhada de forma a realmente a parecer um reality show de televisão, cheio de intrigas brigas e antagonistas que deixam o leitor com vontade de entrar na história só pra esganá-las.
Sabia que não me apaixonaria por Maxon da noite para o dia. Meu coração não ia deixar. Mas de repente me vi em uma situação que talvez eu quisesse me apaixonar por ele. Então pensei na possibilidade em silêncio, sozinha, embora tenha sentido mais de uma vez a tentação de revelar meu segredo.”
Se eu tivesse que descrever a sensação de ler esse livro em uma palavra, ela seria empolgação. Não há outra explicação sobre o porquê de ele ser tão fantástico na visão dos seus milhares de fãs. O leitor se vê envolvido no triângulo amoroso central, fazendo com que ele torça freneticamente para um dos lados e que solte várias exclamações e até palavrões com algumas das atitudes da protagonista. Se você é novo no mundo dos livros, A Seleção é uma ótima pedida para você iniciar suas leituras! Também vale dizer que o final é de tirar o fôlego e deixa o leitor com uma profunda curiosidade sobre o que vai acontecer em seguida!
Sendo um livro leve, romântico, divertido e empolgante, A Seleção é uma ótima pedida para os leitores que gostam de cenas românticas, contos de fadas e livros que nos fazem torcer pelos protagonistas e ficar curiosos pelo que vai acontecer nas próximas páginas. Ministrado por uma autora com uma ótima mão para romances, a trama criada em A Seleção vai deixar vários leitores na beira do sofá entre cenas de encontros a sós e de invasão ao castelo. Um livro ótimo para todos que curtem se envolver com os personagens principais e preencher seu tempo com romances de tirar o fôlego!
Abraços,
Gabriel

6 comentários:

  1. Oi :)

    A Seleção é o próximo livro que lerei e pelo o que você disse vai ser muito bom, adorei. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Estou muito ansiosa para ler esse livro. Parece ser muito bom.
    http://mais-umlivronaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. A maioria das minhas amigas bookaholics são selecionadas , e todo mundo fala tão bem dessa trilogia que me dá uma baita vontade de ler. Adorei a resenha :)
    - Gabriel, aceita afiliação? Se sim, pode responder no blog?
    Beijos || Unlocked Land ❤

    ResponderExcluir
  4. Eu já ouvi falar desse livro em muitos lugares e ele nunca me chamou atenção. Essa é 1ª vez que procuro saber do que ele se trata e sua resenha me deixou muito dividida. Por um lado a ideia de mais um livro de triângulos amorosos me deixa um pouco ressabiada, ao mesmo tempo que fico curiosa para saber como ficou essa junção de contos-de-fada e distopia.
    Estou seguindo seu blog. Abraços.

    blogfalandodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Se você achou a América irritante no início desse livro, espera só A Elite! rs... A escrita da Kiera é super leve e fluida mesmo, nem acredito que essa trilogia já acabou! Espero que curta os outros livros.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel