22 de junho de 2014

Resenha de Filme - O Jardim dos Esquecidos


A resenha de filme de hoje é do filme O Jardim dos Esquecidos, o filme é uma readaptação cinematográfica de um livro muito antigo. A sua primeira versão foi lançada em 1979, mas a segunda foi no começo desse ano de 2014, o filme trata de assuntos polêmicos e pesados. Como gostei muito dele, vim aqui hoje para recomendá-lo pra vocês!
O filme conta a história dos irmãos Chris, CathyCarrie e Cory, esses dois últimos sendo gêmeos, que viram órfãos de pai logo no início do filme. Viúva, desempregada e sem nenhum talento especial além de ser bonita, sua mãe acaba tendo de tomar medidas drásticas para viver sem a ajuda financeira do seu falecido marido, que lhe dava tudo o que esta pedia. Ela acaba pedindo ajuda de sua mãe: uma mulher extremamente religiosa que a odeia com todas as forças por uma atitude considerada por ela errada tomada por sua filha muito tempo atrás, atitude essa que nos é esclarecida no decorrer do filme.
O problema é que a avó das crianças não odeia só a própria filha, mas odeia as crianças também, ela as odeia tanto, que as prende em um quarto no andar mais alto da casa, levando comida todos os dias e deixando-as sair do quarto somente para o sótão, local que usam para brincar, fazendo com que elas sintam-se presas, gerando nelas um amadurecimento demasiadamente rápido e a criação de laços afetivos peculiares. As crianças acreditavam que ficariam naquela situação por apenas uma noite, já que sua mãe havia dito que eles ficariam ricos depois que ela herdasse a fortuna de seu pai e se mudariam dali para um lugar bem melhor, coisa que não acontece, já que a mãe as esquece aos poucos e passa a se interessar somente nas suas ambições pessoais.


O fato de ficarem presas em um lugar pequeno como um quarto e um porão faz com que as crianças criem uma própria forma de pensar. Baseando-se nesse principal conflito de "cativeiro", o filme aborda vários temas difíceis, como a passagem da fase adolescente para a adulta, que é difícil para os dois mais velhos: a garota não entende o que está acontecendo com o seu corpo e o garoto começa a sentir atração por mulheres. Eles acabam desenvolvendo uma relação de romance e cumplicidade, passando a agir como pais para os irmãos mais novos. Mesmo que o assunto seja pesado, o incesto é tratado de foma delicada nesse filme, mostrando como a relação entre os dois mais velhos se desenrola naturalmente de acordo com as necessidades e desejos que eles têm.
O filme conta com atuações incríveis, a maioria dos atores eu não conhecia, sabendo apenas a existência da mãe deles, a atriz Heather Graham, que fez um trabalho bom dentro do papel que lhe foi proposto, mas, em minha opinião, as melhores atuações foram da atriz que interpretou a avó das crianças, Ellen Burstyn, e do ator que incorporou o Chris na trama, o Mason Dye. Ela soube muito bem passar o ódio que sua personagem sente pela filha e ele soube como demostrar as mudanças corporais e mentais que ocorriam em seu personagem no longa, além de ter conseguido também mostrar a confusão que ele sentia em relação a sua irmã: sentir-se atraído por ela era certo ou errado? Essa dúvida o acompanha durante todo o  filme. Além deles, os outros atores também fizeram um bom trabalho, principalmente as crianças, que conseguiram passar de forma excelente o quanto ficavam desesperadas dentro daquele espaço ao qual foram condicionadas a estar.

O filme é do tipo horror alternativo: ele não te deixa com medo, mas te deixa agoniado, revoltado e claustrofóbico do começo ao fim, com vontade de estar no lugar das crianças e dar uma boa lição na mãe deles e na vó também! Durante toda a trama você vai torcer para eles conseguirem fugir dali e terá momentos em que você vai ficar na ponta do sofá de tão ansioso que as situações que eles se metem vai te deixar, o filme é incrível, se você gosta de um filme que te faz pensar, que te arrepia e surpreende, esse filme é pra você!
Sendo peculiarmente original, O Jardim dos Esquecidos mostra o quanto a natureza humana é frágil e pode ser alterada de acordo com os termos a qual é imposta, também mostra o quanto uma pessoa pode mudar para sempre por fatos ocorridos em um passado muito distante e o quanto o ser-humano pode ser ganancioso, usando formas revoltantes para conseguir  que quer, o filme é revoltante, inovador e, principalmente, instigante, você ficará curioso durante toda a trama para saber o que vai acontecer com as crianças e, quando o filme acabar, ainda vai desejar mais!
5|5
Abraços,
Gabriel

9 comentários:

  1. Eu vi o filme e gostei bastante até, ele não é bem um filme que dá medo ou triste tu fica só meio que apavorado com o que acontece! Eu to louca pra ler o livro
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Olha, não teria estômago pra ver esse filme... incesto é demais para mim. Não ia gostar de jeito nenhum, ainda mais sabendo que ele te deixou agoniado, revoltado e claustrofóbico. Realmente não é o tipo de coisa que eu curto assistir.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muito assistir esse filme e ler o livro, todos dizem que é ótimo, inclusive meus dindos, que já assistiram todos os filmes possíveis, haha. Adorei a resenha :)
    Beijos || Unlocked Land ❤

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha.Ainda não assisti o filme mas li o livro.É ótimo!Toda a saga.

    ResponderExcluir
  5. Olá galera blz vir ontem o filme pela Hbo,fiquei mais curioso com uma continuação ''se é que vai ter'' do que do filme em si.
    A história é bacana atores no geral de boa aparencia,mas o que me deixou intrigado foi o fato da avó não gostar da filha aceita-la em sua residencia uma vez que a mesma foi deserdada no passado e sabendo que ela estava ali somente pela herança do velho que já estava no pé da cova.Na minha humilde opinião a avó teria que expor as crianças para o avó expulsar todos de lá já que ela odiava todos.Outro ponto que gostaria de ressaltar é dos donnuts envenenados que a mãe deu para os filhos morrerem,não entendi porque a avó deixou as crianças comerem,fica meio a impressão que ela estava a favor da filha e contra as crianças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A avó não odiava totalmente eles, foi por isso que ela concordou com o plano da mãe, mas quando ela viu que a filha envenenou os donnuts, se deixou levar pelo sentimento de raiva e não fez nada. OU ela não sabia do veneno na hora e descobriu depois.

      Excluir
  6. Olá galera blz vir ontem o filme pela Hbo,fiquei mais curioso com uma continuação ''se é que vai ter'' do que do filme em si.
    A história é bacana atores no geral de boa aparencia,mas o que me deixou intrigado foi o fato da avó não gostar da filha aceita-la em sua residencia uma vez que a mesma foi deserdada no passado e sabendo que ela estava ali somente pela herança do velho que já estava no pé da cova.Na minha humilde opinião a avó teria que expor as crianças para o avó expulsar todos de lá já que ela odiava todos.Outro ponto que gostaria de ressaltar é dos donnuts envenenados que a mãe deu para os filhos morrerem,não entendi porque a avó deixou as crianças comerem,fica meio a impressão que ela estava a favor da filha e contra as crianças.

    ResponderExcluir
  7. Assisti o filme pela HBO. Otimo filme. Recomendo.

    ResponderExcluir
  8. Olá, pra quem não sabe o filme tem continuação...pétalas ao vento,Os espinhos do mal e sementes do passado.

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel