19 de junho de 2014

Resenha - As Crianças Trocadas

Título: As Crianças Trocadas
Autora: Elle Casey
Editora: Geração Jovem
Série: A Guerra dos Fae
Páginas: 287
Classificação: 5|5
Onde Comprar: Saraiva

Sinopse:
Jayne Sparks, rebelde e língua afiada de dezessete anos e seu melhor amigo, tímido e estudioso Tony Green tem uma existência muito típica de escola secundária, até que vários incidentes aparentemente não relacionados convergem, causando uma cascata de eventos que mudam suas vidas para sempre. Jayne e Tony, junto com um grupo de adolescentes em fuga, são sequestrados e enviados para uma floresta, onde nada e ninguém são o que parecem. Quem sairá triunfante? E o que eles serão quando o fizerem?


Resenha:
A resenha de hoje é do livro As Crianças Trocadas, o primeiro volume da série A Guerra dos Fae, que foi escrito pela autora norte-americana Elle Casey e lançado pela editora Geração Jovem, o livro é de gênero sobrenatural e irá agradar muito aos jovens que tanto gostam de aventuras, confusões e talvez um pouco de romance! Para saber mais sobre o livro, é só continuar lendo a resenha!
Jayne tem dezessete anos e é uma adolescente irreverente e bem desbocada. Ela acaba virando amiga de Tony, um garoto nerd que teve um começo de relação difícil com ela, mas acabou virando seu melhor amigo, quando Tony percebe que a Jayne está vivendo uma situação esquisita em casa, decide fugir com ela para Miami com apenas 20 reais e sem nenhum plano em vista.
Naquele instante, percebi que isso era um grande erro: a vida fica limitada quando a gente anda por aí sempre com medo de que alguma coisa trágica aconteça.
Logo que chegam em Miami, na estação de ônibus, eles conhecem o Jared, um garoto do qual não sabem nada, super misterioso e estranho que acaba percebendo que eles não têm dinheiro e nenhum plano para viver aonde estão e oferece a eles abrigo, alimentação e segurança enquanto eles precisarem. Os dois acabam aceitando e o seguem até um galpão, onde conhecem mais outros adolescentes que se encontram na mesma situação que eles: sem casa, vivendo nas ruas.
Pela manhã, um dos garotos, chamado Spike, chega com um panfleto de uma empresa que diz que ela está oferecendo 500 dólares para quem conseguir completar as etapas de uma experiência que envolve atividade física, como eles precisam de dinheiro, decidem que irão participar, e depois de fazer um teste escrito muito fora do normal, eles são levados para uma Floresta onde terão de passar por "alguns obstáculos" para conseguir o dinheiro, o que os intriga é se eles conseguirão sair vivos de lá.


A narrativa do livro é super leve, é em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Jayne e a autora usa da linguagem coloquial usada pelos adolescentes, não economizando palavrões e nem gírias populares, isso pode incomodar algumas pessoas, mas não me incomodou, até porque sou adolescente e me identifiquei bastante com a escrita da autora, então se você for ler esse livro, entenda que a autora quis fazer com que os adolescentes se identificassem com o seu modo de escrever e não ache estranho o uso excessivo de palavrões e nem de gírias, lembrando que o livro é jovem adulto sobrenatural.
─ Jayne, não mije nos lobisomens, pelo amor de Deus!
Olhei para baixo. Resolvi que não seria culpa minha se os avisasse antes. 
─ Ei lobisomens! Aqui em cima! É com vocês mesmo, seus putos cabeludos! Prestem atenção, eu estou muito apertada. Sabe como é, preciso mijar. Então, vou me aliviar aqui em cima. É melhor tomarem cuidado aí embaixo, se é que me entendem.”
Todos os personagens do livro são legais, todos mesmo, não tem como não se identificar com pelo menos um deles e nem como não gostar de personagens como a Becky, até mesmo a Jayne, que é muito fresca, não me incomodou, o que é quase inédito, já que eu quase nunca gosto do (a) personagem principal.
O livro é super divertido e tem trocadilhos de sobra que ainda dão pra dar e vender! A autora utiliza do sarcasmo adolescente para tirar muitas risadas do leitor. Nesse livro também há um triângulo (quadrângulo, talvez?) amoroso que não é muito bem explorado, mas eu espero que seja mais explorado no segundo livro, porque não é nada convencional, fugindo dos padrões já repetitivos de triângulos amorosos atuais.
Fiquei observando o mar enquanto ele descobria para que lado ir. As mesmas ondas batiam na areia sem parar. As gaivotas ainda gritavam. Eu ainda estava cercada de milhões de pedacinhos de pedras e conchas. Tudo continuava igual, mas, ao mesmo tempo, tudo tinha mudado. É engraçado como a mudança pode acontecer quando a gente menos espera.
Também sobre o quê de sobrenatural da história: é único, eu nunca havia lido nada parecido com a mitologia que é criada nesse livro, e é uma mitologia mais do que legal! Os poderes dos personagens são super diferentes do que estamos habituados e as situações que eles vivem dentro da floresta também são super legais, do tipo que fazem a gente ter aquela vontade de ler mais e mais, e o livro pode muito bem ser lido em apenas um dia, já que tem uma linguagem facílima, é super curto e tem uma história super envolvente.
Com uma narrativa leve e super bem humorada, Elle Casey nos convida para o mundo fantástico que ela criou e nos deixa preocupados com os seus personagens, animados com as aventuras que se passam no livro, assustados com os problemas e ansiosos pelos próximos volumes dessa série promissora que é A Guerra dos Fae, dona de uma mitologia única, o livro é uma super indicação!
Abraços,
Gabriel

3 comentários:

  1. A resenha ficou bem legal!!
    http://mais-umlivronaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Realmente parece ser um livro incrivel de mistério. Super curti a resenha.
    ~ gislei.com

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro, mas adorei sua resenha, vou coloca-lo na minha lista!
    bjs
    anjodecereja.blogspot.com

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel