25 de junho de 2013

Resenha - Escolhida

Título: Escolhida
Autoras: P. C. e Kristin Cast
Editora: Novo Século
Páginas: 284
Série: House of Nigth
Classificação: 4,5|5
Onde Comprar: Saraiva


Sinopse:
Neste terceiro livro da série House of Night os acontecimentos tomam um rumo misterioso e perturbador. Zoey tenta encontrar uma solução para ajudar Steve Rae, que luta para manter sua frágil humanidade, antes que ela se transforme em um monstro. Entretanto, salvar sua melhor amiga significa ir contra Neferet, e para conseguir o que quer, Zoey acaba se aliando a uma inesperada pessoa, tornando-se sua confidente e parceira. Para complicar, o horror atinge a Morada da Noite quando dois assassinatos ocorrem. Zoey se vê num drama pessoal e numa posição realmente delicada. Deve guardar segredos, até mesmo de seus amigos, tomar decisões muito importantes, e agora que acabou se envolvendo com um terceiro cara, deverá lidar com os três, já que não consegue se decidir entre eles.

Resenha:
Escolhida é o terceiro volume da série House of Nigth, portanto, se você não leu os primeiros 2 livros da série, acho melhor não ler essa resenha, ou se arriscar e fugir dos spoilers, que serão muitos sobre os livros anteriores! Resenhas para os livro anteriores aqui!
No terceiro livro da série House of Nigth, Zoey continua com sua nova vida de Marcada, ela já sabe controlar seus poderes e está vivendo quase normalmente, a não ser pelo fato de ela ter perdido  sua melhor amiga, que virou uma morta-viva e também pelo fato de ter arranjado uma inimiga mortal...
Começamos o livro com o aniversário de Zoey, ela não tá lá de muito bom humor. Depois da morte e da não-morte da sua melhor amiga Steve Rae, ela está triste, abalada e, principalmente, irritada, já que as pessoas pensam que é bom presenteá-la com coisas que tenham a ver com natal só por que seu aniversário é pertinho da data. Isso a irrita de um jeito difícil de explicar (vou consolá-la, rs, meu aniversário também é perto do Natal rs). Além da morte e "não-morte" de Stevie Rae, Zoey também descobriu que Neferet não é a mãe perfeita que ela imaginava ser, e sim uma falsa que tem inveja dos seus poderes. Isso tudo a faz pensar em algumas coisas: ver sua avó, ver Stevie Rae e, em algum momento, no sangue de Heath. 
"... Odiava quando algum garoto ficava nervoso perto de mim, como se eu fosse transformá-lo em algo terrível. Por favor. Estamos na Morada da Noite, não na escola de Hogwarts. (Sim, eu li os livros do Harry Potter e amo os filmes. Sim, isso é prova mais do que suficiente de minha "nerdice".)"
Zoey continua sendo a nerd e idiota de sempre, mas é uma ididotice legal de se ler, e ueito engraçada, o que se pode observar nesse livro, é que ela amadureceu, está tomando decisões de forma mais rápida, mesmo que seja mentindo, são mentiras que estão sendo contadas com objetivos, quer dizer, na maioria das vezes sim, mas claro que existem exceções! Além dela ter amadurecido, outros personagens como Aphrodite também amadureceu, e se tornou uma das peças mais importantes nesse livro!
O livro é melhor do que os outros, sim, a Zoey vira uma vagabunda aqui, ela faz coisas que não agradam a maioria dos leitores, se me permitem resumir o que ela faz em uma só palavra, a palavra é traição, ela trai pessoas que não deviam ser traídas, mas, fazer o quê né... Para os vampiros da Morada da Noite, sangue é prazer...
A vida amorosa de Zoey continua conturbada, com quem deve ficar? Com Erik, seu namorado que é desejado por todas as garotas e com quem ela pode ter um futuro por ele ser um vampiro, ou com Heath, que dá um prazer inigualável a ela por ter sangue humano, mas com quem ela não pode ter um futuro pelo fato de ele ser um humano, ou com o professor Loren Blake, poeta Vamp laureado e adulto, o que nas palavras dela, o leva para um outro nível de sedução. 
Enfim, o grande conflito desse livro é salvar Stevie Rae, ou seja, transformá-la de volta em humana, já que virou uma vampira-monstro que gosta de beber sangue de mendigos e matar pessoas por diversão. Nesse livro a a rivalidade entre Neferet e Zoey não acaba, elas continuam se estranhando e, pela narrativa da Zoey, a gente consegue ver que não são coisas tão boas que se passam na mente dela sobre a sua ex-melhor-exemplo-de-mãe.
O livro continua com um ótimo humor, muita gente não gostou dele por conta da Zoey ter virado uma espécie de vagabunda, mas isso não me incomodou nem um pouquinho. Também vale dizer que a partir desse livro aqui a série provavelmente fica mais picante, pelo menos esse livro teve cenas de sexo e muuitos palavrões, muitos mesmo, algo que com toda a certeza não estava acostumado, mas que quando terminei de ler até senti falta nos outros livros que li. Ele tamém faz muitas referências à cultura pop atual, coisas do tipo bandas de rock, livros antigos como Drácula, ou Harry Potter.
Acho que o título "Traída" se encaixa melhor nesse livro no que no título do anterior, a traição que a Zoey sofre nesse aqui é muito maior, é uma cara de pau do tamanho do mundo! Enfim, vou parar por aqui essa parte pra não dar spoilers pra vocês! O livro tá sim recomendado e fiquei bem ansioso para ler os próximos livros agora que fiz resenha dos que já li da série, enfim, em breve volto com resenha de Indomada.
Então é isso gente!
Até a próxima!
;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel