16 de abril de 2013

Resenha- O Orfanato da Senhorita Peregrine Para crianças Peculiares


Título: O Orfanato da Senhorita Peregrine Para crianças Peculiares
Autor: Rasom Riggs
Editora: Leya
Páginas: 335
Classificação: 4|5
Onde Comprar: Saraiva

Sinopse:
Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo – por mais impossível que pareça – ainda podem estar vivas. 

Resenha:
O Orfanato da Senhorita Peregrine Para crianças Peculiares é o primeiro livro de uma série escrita por Rasom Riggs, publicado pela editora Leya, eu comprei na saraiva, boa leitura!
Terminei de ler o livro e, nossa, como esse livro é bom! Lembro que lá perto do dia 21 de dezembro, um pouco antes, perto do meu aniversário, ganhei um vale presente da Tia Rita de 100 reais e a minha felicidade foi muita! Foi na verdade o meu primeiro vale presente, irônico, mas verdade! Ela sempre me dá livros, por isso antes de tudo, obrigado Tia Rita!
Vi o livro quando tava procurando o terceiro volume dos Legados de Lorien, me lembro exatamente de quando olhei para as pilhas de livros e vi um com uma capa estranha, com uns detalhes estranhos e umas coisas doidas tipo mãos brancas na capa, mesmo sem nenhum planejamento para levá-lo, eu falei: "Esse livro vai comigo hoje", assim foi feito, depois de muito tempo adiando a leitura porque o livro tava perdido nas caixas da mudança, decidi finalmente ler, posso dizer que foi muito bom terminar de ler e ao mesmo tempo dizer que nenhum livro me fez sentir tão órfão quanto esse!
Aqui conhecemos a história de Jacob, ele vive a sua infância maravilhosamente bem, ouvindo histórias de seu avô sobre uma ilha, onde morou após fugir da guerra, onde conheceu muitas crianças, não crianças normais, mas crianças peculiares, que tinham poderes e que podiam fazer coisas extraordinárias! Depois de um tempo, aos dezesseis anos (mais ou menos) ele começa a perceber que essas histórias podem não ser tão reais assim, que podem ser apenas contos de fadas e enfim, começa a achar que seu avô é doido! Mas em pleno a um dia normal de trabalho no supermercado, seu avô o liga, falando as seguintes palavras: "Eles , estão vindo atrás de mim, entendeu? Não sei como me encontraram depois de todos esses anos, mas conseguiram, e o que eu devo fazer? Lutar contra eles com uma porcaria de faca de pão?" Mas entre essas e outras "crises do avô de Jacob, ele não acredita que seu avô esteja realmente sendo perseguido... É isso que muda totalmente o rumo da história.
A estória é realmente perfeita, o começo, la pelas 15 primeiras páginas já me conquistou, o meio, me prendeu a leitura, claro que tem partes um pouco chatas, mas comparadas às outras páginas, é como se a história fosse perfeita o tempo todo, posso dizer com toda segurança que o Jacob é um dos meus 3 personagens favoritos de toda a minha vida, ele é muito legal, suas atitudes me fizeram rir em diversas partes e acho que eu faria na maioria das vezes o mesmo que ele, claro, quando tivesse coragem, porque ô menino corajoso!
O romance foi bem construído, o autor soube dar a impressão de incerteza quanto a vontade de Jacob de ficar com Emma. Vale muito á pena ler esse livro, as cenas finais são emocionantes e você não pode olhar pra aranha que passa no chão e perder um palavra sequer, ou você vai perder o desfecho emocionante que Rasom criou!
Se você adora o gênero sobrenatural com certeza vai gostar do livro, caso prefira os contemporâneos, tenho minhas dúvidas quanto a sua opinião sobre o livro. Também acho que começar um livro com a mente aberta é legal, eu odeio gênero histórico, esse livro tem um pouco desse gênero, mas isso não tira nem um pouco a graça da história, só me fez gostar mais dela!
Ah Gabriel, mas se o livro foi tão bom assim, por que você deu 4 estrelas? Porque o final dos finais, lá pelas 5 últimas páginas deu muuuita raiva, o autor não terminou a história, quer dizer, eu realmente espero que tenha continuação, mas tenho minhas dúvidas quanto a isso, ô final escroto!
Quanto a edição da editora Leya, só tenho a aplaudir, a diagramação é ótima e as imagens são perfeitas, elas se juntam de um modo extraordinário à história. Tenho até minhas dúvidas, acho que os 10 colecionadores cederam as fotos a Riggs que, em cima delas, criou uma história envolvente e que te mantém preso à leitura!
Meu personagem favorito é sempre o que sofre algum dano, nesse livro, o Millard é sem dúvidas meu favorito, apesar de que também gosto do sombrio e medonho Enoch, acho ele engraçado, não me pergunte o porquê, não vou saber explicar!Fica a dica!
É isso pessoal!
Até a próxima!
;)

Um comentário:

  1. Nossa, fiquei até com vontade de amarrar minha preguiça e ler esse livro. Já quero! Bjs

    ResponderExcluir

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel