13 de abril de 2013

Resenha - Harry Potter e A Pedra Filosofal

Título: Harry Potter e A Pedra Filosofal
Autora:J. K. Rowling
Editora: Rocco Jovens Leitores
Páginas: 222
Classificação: 5|5
Onde Comprar: Saraiva

Sinopse:
Deveria ser um livro só para o público infanto-juvenil. Mas, no mundo inteiro, gente de idades variadas lê Harry Potter - um fenômeno da literatura mundial que desafia crenças e estimativas.
Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo.
No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.
Harry Potter conduz a discussões metafísicas, aborda o eterno confronto entre o bem e o mal, evidencia algumas mazelas da sociedade, como o preconceito, a divisão de classes através do dinheiro e do berço, a inveja, o egoísmo, a competitividade exacerbada, a busca pelo ideal - a necessidade de aprender, nem que seja à força, que a vida é feita de derrotas e vitórias e que isso é importante para a formação básica de um adulto.

Resenha:
Como a maioria sabe, meu ritmo de leitura é bem lento, leio em média 100 páginas por dia de um livro com a diagramação normal, mas em casos extremos de livros muuuito bons, eu leio bem rápido, foi o que aconteceu com Harry Potter...
No domingo passado, eu vi o primeiro filme do Harry Potter na HBO, claro que não foi a primeira vez que vi o filme, lembro que nas férias do meio do ano passado, fiz uma maratona, aluguei todos os 8 filmes do Harry Potter e vi todos de uma vez só, foi muito legal, mas, nesse domingo em especial, deu uma saudade das outras histórias. Comecei a ler "O Orfanato da Senhorita Peregrine Para Crianças Peculiares", mas na quarta, bateu um sentimento de nostalgia da história do Harry e o jeito foi pegar pra ler. Comecei a leitura na quarta e terminei na quinta, dois dias foi bem rápido, tá que são poucas páginas, mas a letra é muito pequena, podem crer que a minha edição é bem difícil de ler no ônibus, por exemplo.
Foi uma ótima leitura, nunca tinha lido nada do Harry Potter, eu achava os livros muito grandes e achava que nunca ia conseguir ler nenhum deles, mas aí está a prova que eu consigo e que vale à pena a leitura!
Quem nunca viu ou leu Harry Potter, provavelmente não sabe que a histporia se trata de um menino chamado Harry, que sobreviveu aos poderes do maior bruxo das trevas de todos os tempos: Voldemort ou aquele-que-não-deve-ser-nomeado, apesar de muito famoso no mundo mágico, o menino cresceu com seus tios trouxas (nome que se dá aos que não possuem qualquer ligação co o mundo mágico), que devo dizer são muito chatos e idiotas, por que raios eles trataria Harry como um empregado, que em um sótão debaixo da escada e nunca ganha nenhum presente, uma resposta simples: não querem que Harry saiba que é tão especial quento é na realidade, e têm inveja dos pais do garoto, que eram grandes bruxos e sempre foram reconhecidos: os grandes Tiago e Lilian Potter, que salvaram seu filho do poder do grande Lorde das Trevas, cujo poder nunca falhara, e deixara somente uma cicatriz na testa do garoto, em forma de raio, o grande diferencial de Harry Potter.
Crecsido como se fosse um ninguém, Harry cresce achando que sua vida não terá nada de importante, até que corujas começam a chegar na residência dos Dursley dizendo que Harry foi invocado para entrar na escola de magia e bruxaria de Hogwarts, o senhor Dursley pira e acaba ficando um tanto louco com a situação, mas o grande Hagrid acaba fazendo com que ele "deixe" Harry ir pra Hogwarts...
Quando chega lá, um nome famoso, encontra tudo que sempre quis, amigos que se importam com ele. A grande situação que esse livro aborda é sobre quem quer pegar a pedra filosofal e porque a quer tanto, mas disso eu já não posso falar, pra descobrir você tem que ler!
"Afinal, para a mente bem estruturada, a morte é apenas a grande aventura seguinte."
Por Dumbledore 

É bem difícil eu lembrar de frases bonitas em livros, em geral eu nem ligo para isso, mas achei essa frase que Dumbledore fala simplesmente espetacular! A série é realmente um vício, já comecei a ler o próximo e acho que no mês que vem vou ter acabado a série! Quero também comprar as edições normais, porque as minhas eu comprei na Submarino em capa branca, são muito bonitas, mas a letra é muito é muito pequena e ás vezes dá dor de cabeça, mas mesmo assim a coleção é muito bonita e foi presente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel